Rua Do Régulo Megauanha

Régulo Megauanha - Natural e mártir de Moçambique. Chefe nativo de uma povoação perdida no interior da Zambézia, longe de tudo e de todos. Nada saberia de política e talvez não falasse correctamente a língua portuguesa. O seu mundo era o mato, a 'machamba', os 'milandos' das aldeias. Mas sobre esse mato, sobre essas 'machambas', sobre todos os tectos de capim dessas aldeias, a bandeira que flutuava no coração da Zambézia portentosa e esplêndida, era a bandeira de Portugal. Era essa, para Megauanha, não só a bandeira da sua aldeia, da sua Zambézia, do seu Moçambique, mas também o símbolo da paz, da ordem, da autoridade, da justiça, de todos os valores de que o homem - branco ou preto --carece para ser verdadeiramente um homem livre. Megauanha sabia-o. E quando os terroristas lhe cercaram a casa e a incendiaram para o forçarem a fugir, a render-se, a entregar-se, esgotadas as munições com que até ao último momento se defendera, Megauanha enrolou em torno do seu peito negro e altivo a bandeira de Portugal e com ela se deixou morrer no meio das chamas. ( Arquivo da Toponímia )