Rua Nova De S. Crispim

No largo de S. Domingos, em 1345, instituiu-se uma albergaria para peregrinos, que por isso se chamou dos Palmeiros. Ficou porém mais conhecida por Hospital dos S.S. Crispim e Crispiniano, por na sua capela se ter instalado a confraria dos sapateiros e esta ter anexado as dos Palmeiros. Nos meados do séc. XIX, a capela de S. Crispim, que já não era a primitiva, ficava «no cimo da Rau Nova de S. João, em face da Calçada de S. Crispim, vulgarmente conhecida de S. Domingos». Por 1875, com a abertura da Rua de Mouzimho da Silveira, esta capela foi demolida, e transferida, com a confraria para o Largo da Póvoa (actual P. da Rainha D. Amélia), em Santo Ildefonso, levando para aí o topónimo...( Toponímia Portuense de Andrea da Cunha e Freitas ).