Largo Do Priorado

O Dom Prior da Colegiada de S. Martinho de Cedofeita era a dignidade suprema desta antiquíssima corporação capitular. Tinha a sua residência junto da igreja, velhinha de muitos séculos, na quinta por isso chamada do Priorado, com os seus passais de baixo e de cima, onde existiam largos campos - o da Cruz, o da Areosa, o do Prado, o do Carvalho. Por 1800, o D. Prior começou a aforar chãos para se edificarem casas, naqueles passais de baixo. Assim nasceram as R. da Cruz (Troço da R. de Cedofeita), a da Paz, parte da R. da Torrinha. A R. Nova do Priorado também saiu desses passais de baixo. Estes aforamentos, que seriam mais tarde causa de numerosos pleitos, urbanizando, fizeram desaparecer a Quinta do Priorado. E depois com o restauro da igreja, foram demolidas as próprias casa do D. Prior, com todos os seus anexos... ( Toponímia Portuense de Andrea da Cunha e Freitas )