Rua Da Reboleira

A Rua da Reboleira, cuja designação data dos séculos XIII-XIV, é uma das mais típicas da zona ribeirinha da cidade, mantendo ainda o traçado tipicamente medieval. Nela se conserva um núcleo significativo de casas medievais, particularmente a nº. 59 que apresenta uma estrutura de casa-torre. Também na Reboleira podemos apreciar o perfil inconfundível das habitações antigas do Porto, e constatar a durabilidade da aparentemente frágil técnica da construção em tabique, que permitiu erguer, sobre um andar térreo em granito, três ou quatro andares sobrepostos que sobreviveram até aos nossos dias. Reboleira é a parte de um bosque ou seara, ou o lodo que se acumula no fundo da caixa onde gira o rebolo, isto é a pequena mó que gira em torno de um eixo, para amolar objectos cortantes. Não sabemos se é esta a origem do nome da velha Rua da Reboleira, ou acaso se filia em «rebolo», de castanheiro bravo, ou ainda no português arcaico molho de lenha, ou pedra rolante. Seja como for o topónimo deve ser muito antigo, pelo menos datando dos séculos XIII-XIV, quando se começou a urbanizar para poente do Rio da Vila. Encontramo-lo mencionado em emprazamentos de 1424, 1437 e 1476. Foi em parte mutilada quando, por 1869-1871, se começou a rasgar a Rua Nova da Alfândega. Cortaram-lhe um troço que ia até junto da muralha fernandina.( Porto Turismo - Património Mundial - Arquivo da Toponímia )