Rua Das Motas

Antiga palavra portuguesa, hoje em desuso, mas que Santa Rosa de Viterbo regista no seu «Elucidário», dizendo que «antigamente se tomava pelos muros, torres, fossos ou cavas que defendiam e mesmo formoseavam uma casa de campo, e que por erma e solitária necessitava de ser guarnecida a modo de castelo ou fortaleza». E citando um documento de 1280, que fala de «uma casa com sua mota», acrescenta o doutíssimo frade: «Toma-se hoje por açude ou levada de água, que se forma de torrões, faxinas ou pedras». Mais recentemente, diccionaristas como Cândido de Figueiredo e Brunswick dão-lhe significado de «aterro com que se resguarda de inundações um campo, campos ou lugar», «aterro à borda de um rio para impedir inudações». Provavelmente será esta a origem do topónimo de que nos ocupamos. ( Toponímia Portuense de Andrea da Cunha e Freitas )