Estrada Da Circunvalação

...Em Carta de Lei de 25 de Fevereiro de 1861 autorizou a Câmara a cobrar as denominadas contribuições municipais indirectas, «no acto em que os géneros tributados dessem entrada na cidade para consumo», criando assim, para o Porto, um regime diferente do dos outros concelhos, onde esses inpostos se cobravam sobre a venda dos géneros. Daí a necessidade de estabelecer barreiras nas entradas da cidade com postos de vigia nos intervalos delas. Formavam estas barreiras, uma extensa cinta que envolvia toda a cidade, num aproximado perímetro de 30 quilometros. «A maior parte desta linha seguia ao longo de um largo fosso ou vala com a extensão de 16 345 metros, cavado em volta da cidade com o objéctivo de dificultar o contrabando das mercadorias sujeitas a imposto». Este fosso era marginalizado por duas estradas, uma exterior outra interior, desde o Freixo, em Campanhã, até ao Castelo do Queijo. À estrada interior chamou-se Circunvalação. A maior parte da obra estava concluída em 1896, mas só ficou de todo pronta no ano seguinte. Com a extinção destes impostos indirectos, em 1943, desapareceram as barreiras do Porto....( Toponímia Portuense de Andrea da Cunha e Freitas )