Rua De S. João

Rua de S. João - A Rua Nova de S. João, como primeiro se chamou (e ainda na planta de Balck, em 1813, tem esta denominação), começou a abrir-se em 1765, mas logo surgiram grandes dificuldades e consequentes pleitos por motivo das expropriações, principalmente levantadas pelos senhorios dos prédios enfitêuticos. Resolveu-as El-Rei D. José, em 1769, determinando por alvará régio um processo sumário para tal fim. Ainda em 1784 se cuidava dos alinhamentos da rua. O nome de S. João foi-lhe dado, cremos, em homenagem a João de Almada. A Rua de S. João, fez parte do plano projectado por João de Almada e Melo visando a transformação da malha urbana medieval. Assim, a zona ribeirinha portuense ficava ligada, de forma rápida e eficaz, à parte alta da cidade, facilitando-se as ligações com o exterior: da Praça da Ribeira, através da Rua Nova de S. João, tinha-se acesso à Rua do Almada (quer pelo Largo de S. Domingos, Rua das Flores, Largo dos Lóios, Porta do Almada; quer pelo Largo de S. Bento das Freiras, Praça Nova) e desta ao Campo de Santo Ovídio. A sua planta é atribuída a Francisco Pinheiro da Cunha tendo-se iniciado os trabalhos da sua abertura em 1765. Porém, as obras decorreram de forma lenta, já que as expropriações e demolições levantaram inúmeras dificuldades (entre outras, refira-se o Hospital de Santa Clara, administrado pela Misericórdia e que se situava na Rua dos Mercadores). Por este motivo, e apesar do alvará régio de 1769, que tentou dar uma solução rápida aos problemas existentes, ainda prosseguiam os trabalhos em 1784. ( Toponímia Portuense de Andrea da Cunha e Freitas )