Rua De Vilar

Vilar, com os seus diminuitivos de Vilarinho, Vilarinha, Vilarelho, etc., é nome que nos tempos medievais se dava a um lugarejo ou pequeno casal. Isto atesta a antiguidade do topónimo de que neste momento nos ocupamos. O P.e Rebelo da Costa, na sua bem conhecida «Discrição Topográfica e Histórica da Cidade do Porto» (1789), menciona como notáveis «as três quintas de Vilar, pertencentes, uma a Vicente Pedrossem, outra a Manuel Francisco Guimarães, e a outra a Nicolau Kopke, cavaleiros professos na Ordem de Cristo. No século XIX tinham aqui os Pachecos Pereiras, da Rua de Belomente, uma grande casa de campo, com quinta, em parte absorvida, mais tarde, pelos jardins do Palácio de Cristal. Não longe dela fundou o arcediago Ricardo Van-Zeller, o Seminário, em 1840. Instituição que perpetua o seu nome. A Rua de Vilar figura já na planta redonda de Balck, em 1813. ( Toponímia Portuense de Andrea da Cunha e Freitas )