Rua De Virgínia Moura

Virgínia Moura ( S. Martinho do Conde, Guimarães n. 19/07/1915 - Porto f. 19/04/1998) - Primeira engenheira civil. Foi-lhe negado o acesso à Função Pública, pois a ficha policial já então a assinalava como séria opositora à ditadura fascista. Cursou, ainda, Matemáticas e frequentou a Faculdade de Letras de Coimbra. Desenvolveu uma intensa actividade cultural no Porto, nos anos quarenta e cinquenta, tendo colaborado (sob o pseudónimo Maria Selma) em vários jornais e revistas, promovido a edição da revista ''Sol Nascente'' e diversas conferências com a participação de Teixeira de Pascoais, Maria Isabel Alboim e Maria Lamas. Data de 1933 a sua ligação ao PCP, tendo, nesse ano participado na organização da secção do Socorro Vermelho (Organização de Socorro aos Presos Políticos Portugueses e Espanhóis). Ainda na clandestinidade, foi membro do Comité Central do Partido Comunista Português. A sua intensa, firme e corajosa actividade política contra o regime fascista levou-a, em 194, à primeira prisão o que até ao 25 d Abril, viria a repetir-se 15 vezes. Depois do 25 de Abril, e nas novas condições de liberdade, continuou a luta pela defesa e consolidação do regime democrático, pelas transformações capazes de assegurar uma sociedade mais justa, por um Portugal de Abril rumo ao socialismo. Fez parte da Assembleia Municipal do Porto. Foi distinguida com a Ordem da Liberdade, recebendo a Medalha de Honra da Câmara Municipal do Porto e do Movimento Democrático de Mulheres. ( Voto de pesar da C. M. P.- Arquivo da Toponímia )